O que significa o “Apostolado dos Palavrões” de São Josemaria Escrivá?

Moral
Typography

 

 

INTRODUÇÃO


Todo Católico que é acostumado com o Sacramento da Confissão e usa manuais de exame de consciência para fazer reflexão sobre os pecados, sabe que os palavrões, xingamentos e linguagem libidinosa e obscena, sempre vêm listados como um pecado a ser confessado e reparado.

 

Porém nos tempos modernos está surgindo uma corrente de “católicos” que não querendo se despojar do linguajar obsceno e contrário a santa pureza[1], estão procurando frases de alguns santos fora do contexto para justificarem suas obscenidades. Um destes santos é São Josemaria Escrivá, fundador da Opus Dei.

A frase do Santo que fazem uso é a seguinte:

Que conversas! Que baixeza e que... nojo! - E tens de conviver com eles, no escritório, na universidade, no consultório..., no mundo. Se pedes por favor que se calem, ficam caçoando de ti. -Se fazes má cara, insistem. - Se te vais embora, continuam. A solução é esta: primeiro, pedir a Deus por eles e desagravar; depois..., ir de frente, varonilmente, e empregar 'o apostolado dos palavrões'. - Quando te vir, hei de dizer-te ao ouvido um bom repertório.

Apesar do contexto ser bastante claro, estas pessoas se apegam apenas as palavras “o apostolado dos palavrões”, como “palavrão” tem uma conotação de xingamento em língua portuguesa, então deduzem que São Escrivá está ensinando que é lícito xingar, falar obscenidades e palavras injuriosas[2] sem que isso implique em algum pecado.

 

O QUE REALMENTE SIGNIFICA O "APOSTOLADO DOS PALAVRÕES"?


Original da frase de São Escrivá é “El apostolado de la mala lengua” ao pé da letra é “O apostolado da língua má”, o original em espanhol segue:

 

¡Qué conversaciones! ¡Qué bajeza y qué... asco! —Y has de convivir con ellos, en la oficina, en la universidad, en el quirófano..., en el mundo. Si pides por favor que callen, se te burlan. —Si haces mala cara, insisten. —Si te vas, continúan. La solución es ésta: primero, encomendarles a Dios y reparar; después..., dar la cara varonilmentey emplear «EL APOSTOLADO DELA MALA LENGUA». —Cuando te vea ya te diré al oído un repertorio.

No livro “Caminho” de São Escrivá com notas, referências e comentários, explica como sendo “Linguagem forte e corajosa, sem melindres”:

  

A tradução para o português, não é uma tradução exata, o que gera as interpretações mal intencionadas e tendenciosas. O Apostolado da “MALA LENGUA” é apenas uma expressão idiomática para linguagem firme e forte, e não para obscenidades. É bem difícil descobrir o motivo pelo qual traduziram isto como “Apostolado dos Palavrões”. Além de tudo, gostariamos de saber onde é que essa gente achou que São Escrivá estaria os mandando saírem por ai xingando as pessoas e falando obscenidades.

 

A APLICAÇÃO DO “APOSTOLADO DA LÍNGUA MÁ”


Para a aplicabilidade deste apostolado, São Escrivá lança várias condições antes da sua utilização:

1 - Quando a pessoa for caçoada, humilhada pertinazmente.

2 – Depois de afastar destas pessoas.

3 – Depois de pedir a Deus pelas pessoas que estão humilhando, caçoando e etc.

4 - Fazer um ato de desagravo.

Portanto existem primeiro 4 condições para depois vim o apostolado dos palavrões, gostaria de saber quais, do que utilizam a frase do Santo fora do contexto estas 4 prerrogativas, antes de sair por ai xingando e proferindo obscenidades?

Além do mais o apostolado dos palavrões é empregado aos pervertidos e sem fé, que caçoam das coisas santas, assim como fez D. Álvaro de Portillo sucessor de São Josemaria Escrivá, quando ainda era jovem, com garotos que caçoavam da sua castidade, porém os “boca porcas” acham que podem fazer isto em qualquer rede social, em qualquer discussão pífia e sem sentido, ainda mais pervertendo o sentido da frase do Santo.

Além de tudo fica a pergunta: Mesmo que São Josemaria Escrivá estivesse em um caso remoto, falando que era lícito falar as obscenidades que eles falam, quais dos “xingadores”, se afastou das pessoas, foi humilhado pertinazmente, orou e fez desagravo pelas pessoas que eles xingam?

 

CONCLUSÃO


Assim sendo, cai irremediavelmente por terra a falsa e perniciosa interpretação de quem só quer ler textos isolados e retirados do contexto dos livros dos santos para poderem justificar seu mal feito, tal qual fazem as seitas com as sagradas escrituras.
 
 
NOTAS

[1] "Que nos proíbe o sexto Mandamento: não pecar contra a castidade? O sexto Mandamento: não pecar contra a castidade, proíbe qualquer ação, PALAVRA OU OLHAR CONTRÁRIOS À SANTA PUREZA, e a infidelidade no matrimônio.” (Catecismo de São Pio X Parágrafo 423.)

“Que nos ordenam o sexto e o nono Mandamentos?O sexto Mandamento ordena-nos QUE SEJAMOS CASTOS E MODESTOS NAS AÇÕES, NOS OLHARES, NO PORTE E NAS PALAVRAS. O nono Mandamento ordena-nos que sejamos castos e puros, ainda mesmo no nosso íntimo, isto é, na alma e no coração.”(Catecismo de São Pio X Parágrafo 428)

[2]Que nos proíbe o quinto Mandamento: não matar?O quinto Mandamento: não matar, proíbe dar a morte ao próximo, nele bater ou feri-lo, ou causar qualquer outro dano no seu corpo, por nós ou por meio de outrem. PROÍBE TAMBÉM OFENDÊ-LO COM PALAVRAS INJURIOSAS E QUERER-LHE O MAL. Neste Mandamento Deus proíbe ainda ao homem dai, a morte a si mesmo, isto é, o suicídio.” (Catecismo de São Pio X – Parágrafo 411)

 

REFERÊNCIAS


1.     LUDWIG, Marcos. Comentários em tópico do Grupo Católicos Tradicionais (CVII). 5 de março de 2014 às 22:34 e 8 de março de 2014 às 21:46.

2. ESCRIVÁ, Josemaria. Caminho. Disponível em <http://leercamino.org/camino_punto_a_punto-capitulo_40_tactica-punto_850.php>. Acesso em: 19/01/2015.

 

PARA CITAR


 RODRIGUES, Rafael. O que significa o “Apostolado de Palavrão” de São Josemaria Escrivá? Disponível em <http://www.apologistascatolicos.com.br/index.php/espaco-do-leitor/duvidas/759-o-que-significa-o-apostolado-de-palavrao-de-sao-josemaria-escriva> Desde: 19/01/2015.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS